A taça da Copa do Mundo: 5 curiosidades A taça da Copa do Mundo: 5 curiosidades - Bodog Blog
Facebook
Instagram
Youtube
Bodog

A taça da Copa do Mundo: 5 curiosidades

A Taça da Copa do Mundo de futebol é o objeto mais buscado pelas participantes do torneio. Ela é o símbolo materializado da conquista e o resumo de uma trajetória vencedora para uma das seleções.

copa mundo trofeu

Origem da taça da Copa do Mundo

Para você que procura apostar na Copa do Mundo, fica a história: a competição disponibiliza ao vencedor um troféu de ouro desde a sua primeira edição, realizada no Uruguai em 1930. Desse momento até 1970, o troféu utilizado pela FIFA é o mesmo. Batizado originalmente “Victory”, e rebatizado para Jules Rimet em 1946, o troféu continha a imagem de Nice, deusa grega da vitória, e foi projetada por Abel Lafleur, escultor francês.

Segundo regra proposta pelo próprio Jules Rimet, presidente da FIFA, após a conquista do tricampeonato, a seleção detentora do feito ficaria para sempre com a taça. Em 1970, o Brasil ganha pela terceira vez o torneio, e fica então com o troféu. Aqui na Bodog, você encontra um artigo que explica a história da primeira Copa do Mundo de Futebol.

Assim, para a edição de 1974, foi necessário um novo modelo, que permanece até os dias de hoje. Um concurso foi criado pela FIFA, e com 53 propostas analisadas pela instituição, o modelo vencedor foi o idealizado pelo italiano Silvio Gazzaniga.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a sua origem, vamos conhecer os 5 fatos mais curiosos sobre a taça do mundo.

1. Com que materiais são feitas as taças da Copas do Mundo

A taça Jules Rimet era feita de prata esterlina banhada a ouro. Sua base original era de mármore, porém foi substituída por uma base de lápis-lazúli, em 1954. O troféu pesava 3,8 quilos, e possuía 35 centímetros de altura.

torcedores copa mundo

A taça atual tem representado o globo terrestre, segurado por duas figuras humanas. Com 36,5 centímetros de altura, está feita com aproximadamente 5 quilos de ouro 18 quilates, com base de malaquita. A atual versão é oca, e pesa 6,15 quilos. Se fosse maciça, estima-se que pesaria entre 70 e 80 quilos.

2. Quem pode tocar a taça da Copa do Mundo

Existe um seleto grupo que pode, de fato, tocar a taça da Copa do Mundo. Para ser parte desse grupo, é necessário estar na equipe vencedora do mundial de futebol. Além desse grupo, também podem tocar a taça os chefes de estado dos países cuja seleção venceu o mundial, e os representantes oficiais da FIFA.

3. Campeões ficam com a réplica da taça

Antigamente, com o troféu Jules Rimet, as seleções vencedoras ficavam com o troféu pelo período relativo da conquista até a edição seguinte do evento, onde a taça estaria novamente em disputa. Até a conquista do Brasil em 1970 isso se manteve, quando então a seleção brasileira ficou definitivamente com a taça.

A partir de 1974, uma réplica do modelo original é destinada a cada país vencedor. No momento da celebração, após o final, a taça original é entregue para que a equipe vencedora possa desfrutar da conquista e da taça original por um momento. Após isso, uma réplica de bronze banhada a ouro é destinada e fica com o país vencedor.

4. A taça da Copa do Mundo viaja em seu próprio avião

A atual taça da Copa do Mundo é tão valorada que viaja pelo mundo em seu próprio jatinho particular. Após dois roubos da taça Jules Rimet (com o segundo sendo definitivo, em 1986), a segurança com o troféu é altamente rigorosa.

5. Tour da Taça da Copa do Mundo

Desde 2005, a FIFA, em ação conjunta com a Coca Cola, realiza o tour da taça pelo mundo. Uma série de viagens é realizada para expor o troféu em diversas cidades espalhadas pelo mundo.

aviao coca cola fifa

Na edição de 2018, todos os continentes receberam a taça ao longo de 221 dias de viagens, com um total de 90 países participantes.

Taça da Copa: um objeto cheio de histórias

Portanto, neste artigo podemos conhecer alguns aspectos e curiosidades sobre o troféu da Copa do Mundo. Com muita história, o atual objeto mantém sua mística, representatividade e um alto valor simbólico e financeiro.