Facebook
Instagram
Youtube
Spotify
Bodog

Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe

Brasil, país tropical e de litorais deslumbrantes, é a casa do fenômeno Gabriel Medina. Durante sua infância e adolescência, o surfista colecionou prêmios nacionais e internacionais e, desde pequeno, já falava em ser uma grande estrela da modalidade. 

Header

Até que, em 2014, veio o reconhecimento: Medina se tornou o primeiro brasileiro a conquistar um mundial de surfe. Quatro anos depois, superou competidores famosos e bateu seus próprios números, conquistando o bicampeonato mundial.

O campeão mundial de surfe

O Mundial de Surfe

Organizado pela WSL (siga em inglês para Liga Mundial de Surfe), o Circuito Mundial de Surfe é o maior torneio do esporte. Dividido em 11 etapas, que ocorrem entre março e dezembro, o campeonato passa por nove países (Austrália, Brasil, Fiji, África do Sul, Taiti, EUA, França, Portugal e Havaí) e funciona em esquema de pontos corridos. Cada etapa é distribuída em partes eliminatórias: 1ª fase, repescagem, 3ª e 4ª fases, repescagem, quartas de final, semifinais e final.

IMG

O conjunto de critérios levado em consideração pela bancada é extenso e exigente. A cada bateria, que dura entre 30 e 40 minutos, os cinco juízes analisam as manobras e a condição do mar e das ondas e dão suas notas – de 0 a 10 –, para o grau de empenho e dificuldade, o nível de periculosidade, a inovação, as combinações e variedades, a velocidade, a potência e a fluidez.

No fim da temporada, os surfistas que figuraram entre os 22 melhores se juntam aos top 10 da Divisão de Acesso (QS) mais dois atletas que sofreram lesão durante o ano, compondo a lista dos 34 membros da divisão de elite mundial. 

O surfe do Brasil no mundo?

Segundo estudo realizado pela ISA (International Surfing Association), há em torno de 23 milhões de praticantes de surfe espalhados por todo o mundo. E o Brasil é o primeiro do ranking, com 3 milhões de surfistas, seguido pelos Estados Unidos (2.8 milhões) e a Austrália (1.7 milhões).

IMG2

Uma informação bastante curiosa é que, na época, as pranchas eram chamadas de tábuas havaianas, mediam 3,60 metros e chegavam a pesar até 80 quilos! O esporte chegou em terras brasileiras por meio de turistas e funcionários de companhias aéreas e foi praticado de maneira mais intensa em Santos (SP). Ainda na década de 1930. Os primeiros nomes a se destacarem por aqui foram os irmãos americanos Thomas Ernest Rittscher Júnior e Margot Rittscher e a dupla Osmar Gonçalves e João Roberto Suplicy Hafers. Para muitos, é um esporte secundário e eles têm heróis esportivos menos reconhecidos. Algo semelhante acontece no ciclismo com o ciclista Egan Bernal no Tour de France.

Nos anos 1950, a modalidade chegou às águas cariocas e, a partir de então, popularizou-se em todo o país. O surfe sempre foi forte por aqui, mas passou a ganhar mais visibilidade internacional com o surgimento de nomes como Medina, Jadson, Mineirinho e Caio.

Gabriel Medina

Ganhou competições como Airwalk Lacanau Pro Júnior (2011), Quiksilver Pro France (2011), Rip Curl Pro Search (2011), Nike Lowers Pro (2012) e Mundial Pro Júnior (2013). Foi o primeiro brasileiro a conquistar o mundial de surfe e o único brasileiro bicampeão mundial. Alcançou dois recordes em sua carreira: segundo surfista a realizar o back flip (mortal de costas) e primeiro a realizar a manobra em uma etapa oficial (WCT).

Jadson André

Jadson

Nascido em Natal (RN) e morador do Guarujá (SP), Jadson começou a surfar com 10 anos de idade e obteve uma carreira expressiva no esporte. Foi campeão do Santa Catarina Pro, do Mundial Júnior, do WQS 6*prime e do WCT Brasil. No Circuito Mundial WQS, já alcançou a terceira posição.

Adriano de Souza – Mineirinho

Mineirinho

Nascido no litoral paulista, Adriano destacou-se rapidamente entre os melhores surfistas do país e foi o segundo brasileiro a conquistar o mundial de surfe. A lista de conquistas é grande: primeiro surfista brasileiro a ficar em 1° lugar no WCT e liderar o ranking mundial do esporte; mais jovem campeão de uma competição profissional, recordista de pontos no WQS, primeiro campeão da WSL, entre outras.

Caio Ibelli

Caio

Do Guarujá para as famosas ondas do Havaí. Caio Ibelli sempre foi uma promessa do surfe brasileiro. Mas onde ele conseguiu mesmo mostrar seu potencial foi nas belas praias havaianas. Conhecido por pegar grandes ondas, o surfista ganhou um título em torneios da WQS, foi campeão do WQS de 2015 e conseguiu se classificar para o ASP World Tour em 2016.

O surfista mais famoso do Brasil: Gabriel Medina

Nascido em São Sebastião (SP), Medina cresceu com a praia de Maresias como seu quintal e teve muito apoio da mãe e do padrasto – que é seu treinador – para seguir o sonho de ser profissional no esporte. O esforço deu certo! O jovem surfista já acumula prêmios e recordes e começou a temporada 2019 a todo vapor, ao lado dos compatriotas Ítalo Ferreira e Filipe Toledo.
Medina

A idade do campeão

25 anos (completará 26 em 22 de dezembro)

Quanto ganha?

Segundo o site Stab, Medina foi o segundo no top 10 dos surfistas mais bem pagos do mundo em 2018. Ele recebeu US$ 3.523.200,00 entre salário e premiações.

A namorada de Gabriel Medina

No momento, aparentemente, o surfista não está em nenhum relacionamento sério. Mas já assumiu namoro com a surfista e amiga de infância, Tayna Hanada, e a atriz Bruna Griphao. Já se envolveu também com a cantora Anitta.

Gabriel Medina um influencer no Instagram

O surfista possui uma conta verificada no Instagram com quase 8 milhões de seguidores!

Medina já sabia, desde criança, do seu potencial e onde queria chegar. Todos os títulos e prêmios que recebeu ao longo da carreira só confirmaram a sua genialidade na água. Mas sua pouca idade nos mostra que ainda veremos muitas conquistas desse paulista, não só no Brasil, mas no mundo!